Ex-alunos se emocionam ao visitarem o Campus

A emoção de reencontrar amigos da adolescência depois de décadas. Os abraços apertados como forma de reduzir a passagem do tempo e a distância física. A felicidade em ver seu nome perpetuado em placas na escola em que se formou. Imagens e estruturas físicas transformadas em lembranças. “Nossa! O piso ainda é o mesmo”, foi uma das exclamações ouvidas. Mesmo sem ser possível definir quem falou, vários dos presentes corroboraram com a fala, passando a olhar para o chão e confirmando com um sorriso.

Tudo isso pôde ser observado nas ações daqueles homens com seus cabelos brancos, mas olhares ávidos de jovens. Por algumas horas, eles voltaram no tempo. Deixaram de ser profissionais bem-sucedidos ou aposentados para serem novamente os estudantes das décadas de 60, 70, 80 e 90.

O Encontro de Ex-Alunos proporcionou esta volta ao passado àqueles que estiveram no Campus na manhã do dia 1 de dezembro. Paulo Antunes de Paula foi um dos que viveu este momento. Primeiro aluno matriculado na turma de Admissão da então Escola Agrícola de Rio Pomba, ele não voltava à instituição há mais de 50 anos. “Fui o primeiro aluno a pisar na escola. Depois da Admissão, fiz o Ginásio e saí em 1966. Desde então, não havia voltado mais aqui”.

Da época em que esteve nos bancos escolares em Rio Pomba, muita coisa mudou. “Virou outra escola. Tem pouca coisa daquela época. Antes era só aquela parte inicial, onde fica o Prédio Central, o Alojamento e a parte da Zootecnia. Não tinha nada para esses lados de cá”, descreve, fazendo referência à área da Agroecologia. “A estrada era de terra. O ônibus que vinha de Ubá, passava por aqui”. A sensação de que o tempo transformou a escola também foi sentida por João Batista da Silva, que integrou a primeira turma de Ginásio em 1963. “Tem muita modificação aqui é muita novidade para a gente”.

Com menos idade, mas o mesmo sentimento de pertencimento à instituição, estava o grupo formado na Escola Agrotécnica Federal de Rio Pomba em 1993. Comemorando 25 anos de formatura, eles visitaram o Campus uniformizados. O grupo mandou confeccionar camisas personalizadas para que pudessem se reunir. Assim como Paulo de Paula, Marith Scot não havia retornado ao Campus desde a formatura. “É a primeira vez depois de 25 anos. Encontrar os amigos nos traz recordações. Estamos aqui lembrando o dia a dia na escola, os apelidos”.

Seu colega de turma, Paulo Teotônio de Carvalho, também estava emocionado de rever os amigos da adolescência. “A maioria que está aqui eu não vejo desde o dia 11 de dezembro de 1993, quando formamos. Nos reencontramos pelas redes sociais, mas pessoalmente é a primeira vez desde então”.

O encontro

Cerca de 100 ex-alunos participaram do Encontro de Ex-Alunos, organizado pela Seção de Egressos da Diretoria de Extensão. No primeiro momento, o grupo foi recepcionado no Refeitório do prédio da Fundação para um café da manhã. A felicidade em encontrar um contemporâneo estava explícito nos sorrisos e abraços. Alguns trouxeram fotos antigas para compartilhar as lembranças com os colegas. Em seguida, ele foram visitar o Prédio Central, onde estudaram. A maior satisfação era mostrar seus nomes nas placas de formandos aos familiares.

“Foi muito lindo vê-los visitando as instalações do Prédio Central. Eles estavam emocionados. É uma satisfação podermos proporcionar isso a nossos ex-alunos”, declarou a diretora de Extensão, Elisete Reis.

Para estender as comemorações, o grupo decidiu se reunir em um restaurante da cidade no horário do almoço e, à noite, organizaram um baile.

- Mais fotos no álbum

Assessoria de Comunicação
Campus Rio Pomba
07/12/2018